Prorrogado prazo para inscrições de trabalhos no Virtual Educa Bahia 2018

VIRTUALeDUCA021

Foram prorrogadas, até o dia 30 de abril, as inscrições para educadores de todo o Brasil que desejam apresentar trabalhos durante o Virtual Educa Bahia 2018. Trata-se de um dos maiores eventos mundiais sobre Inovação e Tecnologia aplicadas à Educação, que irá acontecer entre os dias 4 e 8 de junho, em Salvador. A seleção dos trabalhos dos educadores será feita por uma comissão científica internacional e divulgada no dia 7 de maio. A inscrição é gratuita e deve ser realizada on-line, no endereço: virtualeduca.org/encuentros/bahia2018/PT/ponencias.

 

Após a comunicação dos trabalhos selecionados para a apresentação no evento, os autores terão um prazo para confirmar a participação, bem como para solicitar revisões de possíveis erros. O resultado final dos selecionados será no dia 11 de maio e a programação geral do encontro, no dia 25 de maio.

 

VirtualEduca

Outra inscrição – Também estão abertas, até 20 de maio, no link virtualeduca.org/bahia2018/inscripcion/, as inscrições para os interessados em participar do XIX Encontro Internacional Virtual Educa. Este evento foi criado em 2001, com o objetivo de promover a inovação na Educação para promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável, especialmente na América Latina e no Caribe. Tanto é que o lema desta edição é “Educação para transformar a sociedade em um espaço único multicultural”, em virtude da importância estratégica da Educação nas sociedades plurais do século XXI. Além disso, o Virtual Educa está associado ao I Fórum Global Virtual Educa sobre ‘Cooperação SUL-SUL’, sobre questões de inovação para a inclusão.

 

O Virtual Educa opera por meio de uma aliança de organizações internacionais, agências multilaterais e instituições públicas e privadas, reunindo os setores público, empresarial, acadêmico e da sociedade civil. Nesta edição do encontro, será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial, que visa estabelecer um marco mundial sobre a economia do mar, com foco na sustentabilidade e na economia sustentável.

Secretaria da Educação do Estado lança ações para o ENEM 100%

A Secretaria da Educação do Estado lançou o projeto ENEM 100% – 2018, nesta quinta-feira (12), em videoconferência transmitida para os 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. O projeto, que é desenvolvido ao longo do ano nos colégios estaduais, é uma ação estratégica para fortalecer a participação e a preparação de mais de 123 mil estudantes da rede que poderão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), nos dias 4 e 11 de novembro.

 

Durante a videoconferência foram divulgados o plano de ação e o cronograma do ENEM 100% que, nesta segunda edição, terá algumas etapas. A primeira será executada até maio e corresponde à mobilização nas unidades escolares. Em seguida, vêm as etapas de inscrição e registro de inscritos; de fortalecimento das aprendizagens (de maio a outubro) e de apoio logístico para a realização das provas (novembro). Durante o encontro, os participantes receberam, também, as devolutivas das ações do ENEM 100%, em 2017,tiraram dúvidas e compartilharam experiências.

 

O superintendente de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, ressaltou a importância do ENEM 100% para os estudantes da rede estadual. “Este projeto tem como objetivo alcançar 100% dos estudantes, sobretudo, da terceira série do Ensino Médio regular ou da Educação Profissional inscritos no exame. O ENEM, articulado com programas como o Prouni e o Fies, assegura o acesso desses nossos estudantes à universidade e o nosso propósito é o de que 100% dos nossos estudantes, no período entre 7 e 18 de maio, estejam habilitados e se preparem para as provas”, frisou.

 

A diretora de Educação Básica, Tereza Farias, destacou que esta videoconferência foi uma primeira chamada de diálogo, levando em conta as mudanças de regras para o ENEM. “A gente migra do espaço colaborativo do IAT para a plataforma do Google Sala de Aula, que vai atingir um número maior de estudantes e professores, que estão aperfeiçoando as suas práticas pedagógicas com o uso de ferramentas digitais, através de cursos de aperfeiçoamento e o projeto Redijaê, que proporciona correção de redações, vai estimular o uso dessas ferramentas”.

 

A gestora chamou a atenção, também, para o fato de que o estudante concluinte do Ensino Médio na rede estadual deverá manifestar o seu pedido de isenção da taxa de inscrição do ENEM 2018. “Esta é uma novidade que o MEC coloca e tem um prazo muito curto, que é até domingo, dia 15 de abril. Tratamos de outras mudanças relacionadas ao exame para 2018, como por exemplo, a ampliação do tempo de prova para algumas áreas do conhecimento e a realização da prova em dois domingos, como já aconteceu no ano passado”, completou.

 

Redijaê – Me­ca­nismo de for­ta­le­ci­mento do pro­cesso de pre­pa­ração dos es­tu­dantes, o Redijaê é uma das ações do ENEM 100% e funciona como um conjunto de estratégias para ajudar o estudante que vai fazer o Exame, já que a redação é uma etapa de peso do ENEM. As atividades do Redijaê visam contribuir para que o estudante compreenda as competências através dos cursos on-line, oferecidos no ambiente virtual do Portal da Educação, e possam produzir um texto eficiente, para que tenha mais chance de entrar para o Ensino Superior.

 

Além disso, a Secretaria da Educação do Estado disponibiliza mais de seis mil conteúdos digitais educacionais no Ambiente Educacional Web, com o objetivo de auxiliar os estudantes na preparação para o ENEM. São conteúdos de todas as disciplinas das áreas de conhecimento e de todos os níveis de ensino, produzidos e/ou catalogados por educadores da Rede Anísio Teixeira. 

 

Fotos: Roberta Rodrigues/ASCOM IAT

Educadores debatem sobre desafios e possibilidades para a educação em prisões

Educadores e gestores de toda a Bahia participaram, nesta quinta-feira (12), de uma videoconferência sobre “Educação em Prisões – Desafios e possibilidades para a Educação de Jovens e Adultos privados de liberdade”, promovida pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária. Realizada no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, e transmitida para as tele salas dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), o encontro teve o objetivo de refletir o atendimento que é dado aos jovens e adultos privados de liberdade e discutir estratégias para a elaboração do Plano Estadual de Educação em Prisões, para o período de 2018 a 2022.

Atualmente, a rede estadual de ensino conta com três mil estudantes privados de liberdade nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Valença, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista, Itabuna, Jequié e Paulo Afonso. A professora Isa Castro, da Coordenação da Educação de Jovens e Adultos (EJA), da Secretaria da Educação do Estado, falou sobre a dinâmica do encontro. “A ideia é mobilizarmos gestores de escolas e das unidades prisionais, professores, agentes penitenciários e coordenadores pedagógicos, além de profissionais que queiram se engajar neste trabalho, pois a Educação em prisões é feita respeitando as diversidades, para que possamos evoluir neste caminho”, afirmou.

No debate, André Guedes, da Superintendência de Ressocialização Sustentável, da Secretaria de Administração Penitenciária, falou sobre a importância do debate para o melhor atendimento às pessoas privadas de liberdade. “Precisamos começar entendendo a dinâmica completamente diferente das rotinas do sistema penal e daquele que está privado de liberdade. E este entendimento apresentado na videoconferência vai ajudar a todos os professores e instituições que trabalham em conjunto a entenderem a especificidade e a necessidade para esse sistema, principalmente por constatarmos um grande nível de interesse dos internos e perceber que as parcerias ajudam os professores a utilizarem uma metodologia que contribui na formação adequada deles”, disse.

A diretora Maria das Graças Barreto, do Colégio Professor George Fragoso Modesto, localizado no Complexo Penitenciário da Mata Escura, ressaltou que o encontro “é fundamental para aprofundar o diálogo, trocar experiências e discutir estratégias com educadores de escolas e atores que participam do atendimento em unidades prisionais, pois sabemos dos desafios que é trabalhar uma educação diferenciada e com outra metodologia devido à situação deles de privação de liberdade”, concluiu.

 

Fotos: Claudionor Junior

Secretaria da Educação do Estado promove Encontro sobre o Programa Formação pela Escola

A Secretaria da Educação do Estado realizou nesta quarta-feira (11), no auditório do órgão no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, o Encontro de Alinhamento com os Multiplicadores do Programa Formação pela Escola (FPE). Com a participação de 21 educadores, o objetivo foi apresentar as ações desenvolvidas em 2017, além debater o planejamento para 2018 e socializar novas estratégias do programa. Neste ano, 323 municípios aderiram ao FPE e 100 novos tutores serão formados, a partir desta quinta-feira (12).

 

A coordenadora de Projetos Especiais da Secretaria da Educação, Elenir Alves, destacou o objetivo das formações e o papel do Estado para o fortalecimento dos programas. “Todos os programas que trabalhamos são de assistência técnica de apoio pedagógico às redes municipais. Então, a nossa ação, em regime de cooperação, é de fortalecimento do comitê gestor local. Esse comitê é instituído pelo município e nosso papel é a formação, acompanhamento e monitoramento deste comitê. E para otimizarmos ainda mais nossa atuação, nós realizamos a formação de multiplicadores nos Programas Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Formação pela Escola (FPE) para trabalhar tudo isso de forma convergente, e não de forma separada”, contou.

 

A coordenadora estadual do FPE, Graciene Guimarães, explicou como acontece o processo de formação para o programa. “A formação é uma rede. Começamos com os multiplicadores que fazem parte do Estado. Eles formam os tutores indicados pelos municípios e depois a formação chega aos cursistas, que participam de turmas, que em média possuem de 25 a 40 participantes. São nove cursos oferecidos que esclarecem sobre a gestão escolar, como transporte, merenda e censo. Podem participar desde educadores até membros da sociedade civil. Para se ter uma ideia conseguimos formar 51.834 cursistas, em 2017”, disse.

 

A professora Darly Moreno, responsável pelas ações do FPE no Núcleo Territorial de Educação (NTE 11) de Barreiras, na região do Oeste Baiano, falou como é atuação dos multiplicadores no programa. “Eu realizo o acompanhamento e formação dos tutores neste processo formativo e a gente já percebe diversos avanços nos municípios. Por exemplo, dos 14 municípios da região, 13 são adidos à ação e atualmente neste bimestre, março e abril, possuímos 781 cursistas participando de cursos que abordam temas como o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), transporte, censo e livro didático. E esse processo formativo tem contribuído muito para as regionais”, afirmou.  

    

 

Fotos: Josenildo Almeida

Estudantes assistem aulas com conteúdos digitais e chromebooks pelo projeto e-Nova Educação

Uma sala de aula contextualizada no século XXI, na qual o conteúdo pedagógico é associado à tecnologia digital, por meio de chromebooks conectados à internet de alta velocidade. Esta tem sido a realidade dos estudantes da Escola Professor Luiz Fernando Macedo Costa, no bairro de Águas Claras, em Salvador, que já estão assistindo aulas com o uso de tecnologias digitais graças ao projeto e-Nova Educação, lançado no dia 4/4, resultado de uma parceria da Secretaria de Educação do Estado com o Google for Education.

 

“Esta tecnologia é uma ferramenta que vem fortalecer o eixo pedagógico das escolas, pois o pedagógico é o objetivo central e o tecnológico é o auxiliar. O fruto desta parceria com o Google é a plataforma, a forma como você se interliga, acessa e pratica, mas o conteúdo é, inclusive, de baianos e baianas. No ano passado, nós lançamos a nossa plataforma com 6.580 conteúdos e, agora, por exemplo, estamos vendo várias escolas que têm experiências que são gestadas a partir da criatividade, do envolvimento e, principalmente, da inter-relação e esta parceria é para permitir isso”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

 

Em fase piloto desde 2017, o projeto e-Nova Educação faz parte do dia a dia de estudantes e professores de 20 escolas de Ensino Médio de 11 municípios baianos – Salvador, Feira de Santana, Mata de São João, Camaçari, Lauro de Freitas, Jequié, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Senhor do Bonfim e Luís Eduardo Magalhães, nas mais variadas modalidades de ensino. Até o mês de julho, a meta é chegar a 536 unidades escolares. O conteúdo, aplicado de forma diversa, é acessado através de chromebooks, aparelho semelhante a um notebook, criado pelo Google, que funciona totalmente baseado na web.

 

Na Escola Professor Luiz Fernando Macedo Costa, o e-Nova Educação está empolgando professores e estudantes. Na aula de Língua Inglesa, por exemplo, com o uso dos chromebooks, os conteúdos são trabalhados de forma mais dinâmica, através de vídeos, filme, música e textos. As estudantes Andressa Figueiredo e Beatriz Lima, ambas com 12 anos e cursando o 8º ano, falam sobre a nova motivação em sala de aula. “Estou achando muito legal esta experiência de estudar com o auxílio do chromebook, porque a gente pesquisa os conteúdos de forma mais curiosa e pode aprofundar nos assuntos através de vídeos e outros textos”, relata Andressa. Beatriz também opina: “Estou achando tudo muito interessante, mais estimulante porque os assuntos que os professores abordam a gente pode pesquisar, com a ajuda de outros textos, além de vídeos e fotos”.

 

Também animada com as novas possibilidades de aprendizado, Helenice Santos Reis, 11, 6º ano, diz que o chromebook é uma maneira lúdica de aprender. “Estou achando muito bom esse projeto, porque a gente absorve os conteúdos de uma forma mais divertida. Com isso, sinto mais empolgação para fazer as atividades escolares”.

 

O professor de Língua Inglesa, Arleme Muniz Cotrim, considera que o e-Nova chega para revolucionar o processo de ensino e aprendizagem em sala de aula. “O projeto oportuniza mais facilidade no acesso aos conteúdos pedagógicos, contribuindo para melhorar a qualidade de ensino. Usamos os chromebooks não somente para executar atividades escolares, a exemplo de trabalhar a pronúncia das palavras através de um vídeo, mas também como uma ferramenta recreativa, a exemplo de jogos por meio dos quais determinado conteúdo é abordado de forma lúdica. Percebo que o interesse dos alunos pelas aulas aumentou em 80%”, revela.

 

Fotos: Claudionor Junior

Secretário Walter Pinheiro busca em Brasília investimentos para projetos educacionais na Bahia

IMG-20180411-WA0011

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, vem participando de uma série de encontros, nestas terça e quarta-feira (10 e 11), em Brasília, com representantes de diversas instituições, dentre elas o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), UNESCO, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), o Banco Mundial e a representante mundial de operadoras de telefonia móvel GSMA. O objetivo é apresentar projetos e atrair investimentos para a Bahia, no âmbito do Programa Educar para Transformar, além da participação dos mesmos no Virtual Educa, um dos maiores eventos internacionais para a Educação na América Latina, que será realizado, pela primeira vez na Bahia, de 4 a 8 de junho, e onde será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial.

“Estamos desenvolvendo várias ações para fortalecer o eixo pedagógico das escolas e, neste sentido, temos buscado parcerias para investimentos em projetos que aliam inovação, ciência e tecnologia aplicadas à educação. Lançamos, por exemplo, o e-Nova Educação em parceria com o Google, além do Inova Escola, junto com a Telefônica Vivo. Agora, estamos dialogando com outros organismos nacionais e internacionais”, destacou Pinheiro.

O secretário vem participando, nos últimos anos, de congressos mundiais nas áreas de Educação e Tecnologia, buscando atrair para a Bahia projetos e parcerias estratégicas. “Participamos este ano do Congresso Mundial de Tecnologia Móvel, organizado pela GSMA, em Barcelona, onde apresentamos as soluções e plataformas utilizadas na Bahia. Também estivemos no Festival Jovem Juvenil (YOMO) e queremos trazer para o Virtual Educa Bahia 2018 as soluções de tecnologia aplicadas à Educação lá apresentadas”.

A GSMA representa as operadoras de telefonia móvel em todo o mundo, unindo cerca de 800 operadoras com mais de 300 empresas no amplo ecossistema móvel, incluindo fabricantes de celulares e aparelhos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de internet, bem como organizações de setores adjacentes da indústria. A GSMA também produz eventos líderes do setor.

Educadores do Nordeste participam em Salvador de formação sobre os Planos Municipais de Educação

Encontro Nordeste da Rede de PME (8)

Técnicos da Secretaria da Educação do Estado, bem como avaliadores educacionais, supervisores e coordenadores das redes que monitoram os Planos Municipais de Educação dos Estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Piauí, participaram, nesta segunda-feira (9), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), do Encontro da Região Nordeste da Rede de Monitoramento do Plano Municipal de Educação (PME). Por meio deste encontro formativo, os técnicos poderão auxiliar os municípios no monitoramento e avaliação dos seus Planos Municipais de Educação. O evento foi promovido pelo Ministério da Educação (MEC), através da Secretaria de Articulação dos Sistemas de Ensino (SASE), em parceria com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

A coordenadora de Projetos Especiais (Cope), da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Elenir Francisca, destacou o objetivo do encontro. “A finalidade é traçar o planejamento das demandas de ação da rede de assistência aos municípios para este ano, o monitoramento dos Planos Municipais de Educação, além da busca ativa para verificar nos municípios as crianças que estão fora da escola”, informou.

A diretora de Cooperação e Planos da SASE, do MEC, Vânia Clemente de castro, salientou que “além de rever o processo e monitoramento de avaliação dos planos, a questão principal nesta formação é definir a nossa proposta de trabalho com o foco na Meta 1 do Plano Nacional de Educação, da Lei 13.005/2014, que venceu em 2016 e precisa, de fato, ser cumprida”, afirmou.

Encontro Nordeste da Rede de PME (16)

A meta 1 do Plano Nacional de Educação (PNE) objetiva universalizar, até 2016, a Educação Infantil na pré-escola para crianças de quatro a cinco anos de idade e ampliar a oferta de Educação Infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até três anos até o final da vigência do PNE.

Para a avaliadora educacional do Estado de Sergipe, Rose Jane Hipólito, o encontro foi esclarecedor. “Recebemos orientações para ajudarmos os municípios no monitoramento e avaliação dos Planos Municipais de Educação e, também, buscamos subsídios de como orientar esses municípios tendo em vista as dificuldades existentes. Além disso, trocamos experiências com avaliadores de outros Estados que também apresentam as mesmas dificuldades e apresentam as soluções”, destacou.

 

Fotos: Claudionor Junior

Ingressos da Campus Party são disponibilizados para estudantes e professores

campus

Estudantes e professores da rede estadual de Educação Profissional e Tecnológica podem se inscrever para participar da segunda edição do Campus Party Salvador 2018, a partir desta segunda-feira (9) até o às 12h do dia 12/4. Para o recebimento de ingressos e obter consequente acesso ao evento de tecnologia será necessário o preenchimento da ficha de inscrição, através do link  (para professor) e do link (para aluno). A feira acontece de 16 a 20 de maio, na Arena Fonte Nova, por meio de uma parceria entre a Secretária de Educação do Estado da Bahia com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Serão disponibilizados 500 ingressos para os acessos ao Campus Party Salvador 2018, que serão ofertados em duas modalidades – com barraca (100) e sem barraca (400) –, sendo que a escolha deverá ser feita no ato da inscrição. Os selecionados serão orientados, através dos e-mails, fornecidos no ato da inscrição, para a ativação dos ingressos, dentro de um prazo para cada código individual de acesso. Caso algum dos selecionados não ative o ingresso, o mesmo poderá ser disponibilizado para outro interessado da mesma ou de outra unidade escolar.

A obtenção dos ingressos requer critérios de seleção específicos para professores e estudantes, destacando que a ordem de inscrição será válida para ambos no processo seletivo. No caso dos docentes, eles terão que ser integrantes da rede estadual de ensino, bem como possuir ou orientar projetos na Rede de Educação Profissional e Tecnológica do Estado da Bahia e ter e-mail ativo. O estudante, por sua vez, terá que estar matriculado na Rede de Educação Profissional e Tecnológica do Estado da Bahia e frequentando as aulas regularmente, sendo que terão prioridade os que estão inseridos em projetos de pesquisa, desenvolvidos na unidade escolar, e os ligados aos eixos tecnológicos de Informação e Comunicação ou Controle e Processos Industriais.

São critérios de seleção dos estudantes possuírem e-mail ativo e terem, preferencialmente, 18 anos ou mais. A participação de alunos menores de 18 implica em apenas ingressos na modalidade “sem barracas” e requer que o mesmo seja acompanhado de um responsável da unidade escolar e apresente autorização do responsável legal (pai ou mãe, ou tutor, curador ou guardião legais) com firma reconhecida em cartório, no ato da inscrição e durante os dias do evento. O acompanhante do menor também deverá fazer a inscrição para obter o seu ingresso e ter acesso ao evento. 

Campus Party Salvador – Durante cinco dias, estudantes de todo o Estado terão a oportunidade de atualizar conhecimentos e trocar experiências por meio de projetos inovadores de iniciação científica, desenvolvidos em sala de aula no âmbito da Educação Profissional e Tecnológica, realizados pela Secretaria da Educação do Estado. A diretora de Empreendedorismo, Inovação e Institucionalização da Superintendência de Educação Profissional e Tecnológica, Danile Sanches, destaca a importância do Campus Party e do incentivo à participação dos estudantes e professores dos cursos técnicos da rede. “O evento tem o intuito de oportunizar uma vivência real com os avanços tecnológicos de ponta, despertando o espírito investigativo, a criatividade e o empreendedorismo, em busca de soluções e inovações que visem transformar e contribuir para o desenvolvimento do Estado da Bahia, promovendo o desenvolvimento social, econômico e ambiental; a interação da Educação Profissional com o mundo do trabalho; a disseminação da cultura empreendedora; e o estímulo à inovação e ao desenvolvimento científico-tecnológico dos estudantes dos cursos técnicos”. Veja aqui mais informações sobre o evento.

Critérios de seleção para obtenção de ingressos:

 Para professor:

 – Ordem de inscrição

- Ser integrantes da rede estadual de ensino

- Possuir ou orientar projetos na Rede de Educação Profissional e Tecnológica do Estado da Bahia

- Ter e-mail ativo.

Para estudante:

- Ordem de inscrição

- Estar matriculado na Rede de Educação Profissional e Tecnológica do Estado da Bahia

- Estar frequentando as aulas regularmente

- Possuir e-mail ativo

- Ter 18 anos ou mais, preferencialmente. A alunos de menor deverá estar acompanhado de um responsável da unidade escolar e apresentar autorização do responsável legal.

Estudantes da rede estadual elegem seus líderes de classe

Os estudantes da rede estadual de ensino da capital e interior do Estado estão escolhendo os seus representantes durante a eleição de líder e vice-líder de classe, iniciada nesta segunda-feira (9) e que segue até esta terça (10). A iniciativa, que deverá eleger mais de 45 mil estudantes, contribui para uma gestão democrática e participativa, além de promover o empoderamento juvenil.

O papel do líder – Os estudantes eleitos serão os interlocutores da turma junto à comunidade escolar. Entre as atividades, eles devem cuidar do interesse coletivo, identificando as necessidades das turmas relativas à melhoria do processo de ensino e aprendizagem e estimular o bom relacionamento dos estudantes, por meio do diálogo.

Fotos: Claudionor Junior

Secretaria da Educação cria Centros Juvenis de Ciência e Cultura em Feira de Santana, Jequié e Irecê

oficina de robótica do CJCC-Foto. Divulgação (3)

A Secretaria da Educação do Estado autorizou a criação, organização e funcionamento de mais três Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC) na rede estadual. De acordo com portaria publicada no Diário Oficial do Estado (D.O), nesta sexta-feira (6), os Centros serão implantados nos municípios de Feira de Santana, Jequié e Irecê. Os Centros Juvenis têm o objetivo de ampliar a jornada escolar e a diversificar o currículo dos estudantes com oficinas, cursos e atividades voltadas à arte, cultura, inovação e ciência. Cinco unidades do CJCC funcionam nos municípios de Salvador, Senhor do Bonfim, Vitória da Conquista, Barreiras e Itabuna.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destacou a importância do CJCC no âmbito do programa Educar para Transformar. “Este projeto dos Centros Juvenis vai ao encontro daquilo que estamos debatendo nas escolas com educadores sobre a mudança no eixo pedagógico na Educação com um novo perfil de oferta. Criar novas unidades pelo Estado é proporcionar aos estudantes o acesso a um currículo diversificado, com atividades voltadas para a Ciência, Tecnologia, Inovação, mas também para a música, dança, teatro, gastronomia, entre outras, sendo parte integrada da formação e não apenas ações esporádicas. O objetivo também é de criar unidades em diferentes localidades para atender todos os territórios baianos”, ressaltou.

O coordenador do CJCC, Iuri Rubim, explicou como vai acontecer o processo para das unidades. “A partir das portarias de criação, nos próximos dias estaremos publicando o edital para seleção dos gestores, que corresponde a um diretor e três vices, que vão passar por uma avaliação técnica do currículo, além de entrevistas. Paralelamente, estaremos realizando a estruturação das unidades em cada município e, logo após, estaremos fazendo a seleção de professores”, disse.

Iuri ainda contou que a iniciativa para a criação de mais unidades mostra a ascensão do projeto que vem beneficiando a aprendizagem dos alunos. “O CJCC caminha junto com os pilares que norteiam a Educação do Estado. São professores desenvolvendo um currículo diferenciado, os estudantes motivados, pois não há obrigação de estarem lá, mais sim, o interesse voluntário de participarem das diversas atividades desenvolvidas na unidade, além de estarmos conectados com a Educação no século XXI”, concluiu.

Foto: Ilustração/ Divulgação