Educadores debatem sobre mudanças no currículo do Ensino Médio

28418136_1663886287023553_645854181_o

A Secretaria da Educação do Estado reuniu especialistas e educadores, nesta sexta-feira (23), para discutir as novas arquiteturas curriculares do Ensino Médio, durante uma videoconferência no Instituto Anísio Teixeira (IAT), que foi transmitida para os 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE). O objetivo foi avaliar o currículo, a partir das diferentes ofertas e modalidades na rede estadual, de modo que a Educação esteja contextualizada com a realidade dos estudantes e as especificidades dos 27 Territórios de Identidade da Bahia onde eles vivem, contribuindo, assim, para o processo de ensino e aprendizagem.

O superintendente de Políticas para a Educação Básica do Estado, Ney Campello, destacou a importância desta discussão e da construção coletiva, que vem sendo fomentada pela Secretaria da Educação desde 2017.  “Para mim, esta videoconferência é um marco histórico na rede, porque o ano de 2018 será dedicado à construção do que nós estamos chamando do Currículo Bahia, ou seja, a construção de uma trama de saberes e fazeres que impactem na evolução dos nossos indicadores educacionais, que requalifique e ressignifique a oferta da educação pública estadual”, afirmou, ao acrescentar que “estamos fazendo isso não sob uma lógica do Ministério da Educação, de uma Lei de Reforma do Ensino Médio, mas do exercício da autonomia do Sistema Estadual de Educação, que é conferido pela Lei de Diretrizes e Base (LDB), e, a partir das próprias experiências vivas da rede, construir essa trama que chamamos de currículo”, pontuou.

28343191_1663886383690210_901887543_o

Durante a videoconferência, foram apresentadas experiências de reformulação de currículos já desenvolvidas nas escolas estaduais. Segundo a diretora do Ensino Médio da Secretaria da Educação, Tereza Farias, este, aliás, é um dos resultados identificados pela Secretaria, a partir dos ciclos de debates e seminários promovidos ao longo de 2017, nos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) sobre o tema. Ela falou, ainda, sobre as novas estratégias que serão adotadas para ampliar, ainda mais, este debate. “Para este ano nós vamos fazer, no mês de maio, o segundo ciclo de seminários territoriais, com o objetivo de desenhar os currículos durante a realização desse seminário. Vamos, também, entregar protótipos curricular para 100 unidades escolares inovadoras, que estão revisitando e reformulando seus currículos, olhando para esse novo perfil de oferta”, destacou.

O Colégio da Polícia Militar João Florêncio Gomes, localizado no bairro Ribeira, em Salvador, já está adotando alterações no currículo, segundo explicou a gestora Eliane Bastos. “A rede CPM já colocou em prática, em 2018, os itinerários formativos através da nova proposta da Reforma do Ensino Médio. Então, esse debate vem nos esclarecer uma série de coisas, instrumentalizar e, também, fazer com que a gente traga a nossa prática, para que ela possa ser repensada opinada, debatida, para que tenhamos cada vez mais um resultado positivo”, disse.

Também participaram da videoconferência, o diretor pedagógico da Superintendência de Educação Profissional e Tecnologia do Estado, Wendel Simões, a coordenadora de Educação Integral da Secretaria, Catarina Cerqueira, o assessor especial para os Complexos Integrados de Educação do Estado, Robson Costa.

Concurso público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual será realizado domingo

Colegio Eraldo Tinoco - Santiago do Iguape - Thabata  Mascarenhas (1)

As provas do concurso público para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino serão aplicadas, neste domingo (25). Um total de 103,5 mil candidatos foram inscritos para as 3.760 vagas ofertadas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos. A avaliação do domingo será realizada em duas etapas (objetiva e discursiva) e terá duração de 4h30, para professores, e de 3h30, para coordenador pedagógico.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destaca que o objetivo principal do concurso é fortalecer a Educação pública na Bahia. “Realizar este concurso foi um desafio assumido pelo governador Rui Costa, mesmo em um cenário econômico nacional ruim. Com isso, vamos fortalecer o eixo pedagógico com coordenadores pedagógicos em todas as escolas e ampliar o quadro de professores efetivos, promovendo, inclusive, esta renovação na rede, uma vez que estamos concedendo muitos pedidos de aposentadoria”, diz.

O concurso público está sendo realizado conjuntamente pelas Secretarias da Educação e da Administração (SAEB).  As provas serão aplicadas nas cidades de Salvador, Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista, conforme opção indicada pelo candidato na inscrição.

Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver devidamente portando documento de identidade original, que legalmente o identifique, como: Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores; Cédula de Identidade para Estrangeiros; Cédulas de Identidade fornecidas por órgãos públicos ou conselhos de classe que, por força de Lei Federal, valham como documento de identidade.

Etapas – O concurso contará com três etapas: provas objetivas, discursiva (ambas no dia 25 de fevereiro) e de títulos (com previsão para abril de 2018). As vagas para professor são nas áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia, sendo exigida formação específica e diploma concedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Para coordenador pedagógico é exigida formação em Pedagogia, também com reconhecimento do MEC. Em todos os casos, a carga horária semanal é de 40 horas.

Foto: Ilustração / Claudionor Junior

Estudantes da rede estadual participam de torneio de Robótica e disputam vagas para a etapa nacional

23.02 - Etapa Regional do Torneio de Robótica First Lego League - Foto Emerson Santos (8)

Estudantes da rede estadual estão participando, nestas sexta-feira e sábado (23 e 24), da etapa regional do Torneio de Robótica First Lego League, que acontece na sede do Serviço Social da Indústria (SESI) Reitor Miguel Calmon, no bairro do Retiro, em Salvador. São duas equipes que representam o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC Salvador), unidade da rede estadual localizada dentro do Colégio Estadual da Bahia (Central), e o Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos, localizado no bairro da Paz, também na capital.

No torneiro, que este ano tem o tema “Hidrodinâmica”, equipes de jovens de 9 a 16 anos de idade, vindos de todos os estados da região Nordeste, utilizam a criatividade para buscar soluções inovadores para problemas existentes no mundo. Para isso, eles programam robôs autônomos capazes de cumprir as missões no torneio. Nesta etapa, serão classificadas seis equipes para a etapa nacional, que acontecerá de 16 a 18 de março, no Paraná.

A iniciativa tem o objetivo de promover o ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática (STEAM), por meio de torneios de robótica com clima de evento esportivo. Além disso, fomenta o trabalho colaborativo e fortalece a capacidade de inovação, criatividade e raciocínio lógico dos participantes.

Ítalo Gabriel Santos, 15, é um dos oitos integrantes da equipe “Rubograma”, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salvador. “Estou gostando muito do torneio porque é muito divertido. O nosso robô possui apenas peças de Lego e um computador portátil, que a gente programa em blocos lógicos através de um programa de computador oferecido pelo torneio”, afirma.

O instrutor e técnico da equipe “Rubograma”, Genicleito Carvalho Beltrão, fala sobre os benefícios da atividade para os estudantes. “O interessante do torneio é que os alunos podem praticar o que aprenderam nas oficinas do Centro Juvenil, como por exemplo os conceitos de Robótica e de produção científica”.

O estudante Caio Leal, 16, faz parte da equipe “Flash Light”, do Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos, que conta com cinco estudantes, também falou sobre a experiência. “É a primeira vez que participo de um torneio de robótica e estou na expectativa de que a nossa equipe seja uma das selecionadas para a próxima etapa. Aqui, temos contato com outros estudantes de diferentes estados do Nordeste e isso é muito legal”, diz, entusiasmado.

23.02 - Etapa Regional do Torneio de Robótica First Lego League - Foto Emerson Santos (33)

Mais sobre o Torneiro – O Torneio de Robótica First Lego League é um programa internacional de exploração científica criado em 1998 pela First em parceria com o Grupo Lego. Ele propõe que estudantes sejam apresentados ao mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, por meio da construção e programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia Lego Mindstorm.

Fotos: Emerson Santos

Educadores participam de formação na USP em programa da Embaixada Americana sobre o estudo da Ciência

professores Delmaci e Shirley

Dois educadores da rede estadual de ensino estão representando a Bahia e participando da formação no Programa de Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática (STEM TechCamp Brasil 2018), realizado, durante esta semana, na Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. A coordenadora do Programa Ciência na Escola (PCE), da Secretaria da Educação do Estado, Shirley Costa, e o professor de História, Delmaci Ribeiro de Jesus, que leciona no Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Góes, localizado em Catu (91 km de Salvador), foram selecionados pela organização do STEM pelo relato das iniciativas e projetos desenvolvidos na rede estadual de ensino da Bahia para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes nas áreas relacionadas.

Leia mais

Secretaria da Educação do Estado mobiliza comunidade escolar para a III Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

Divulgação

A Secretaria da Educação do Estado está mobilizando os professores, gestores e estudantes das escolas estaduais para que participem da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que será realizada de 7 a 9 de maio. As etapas do processo foram apresentadas, nesta quinta-feira (22), durante painel sobre a Conferência, na sala Herculano Menezes da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). A atividade contou com a presença de 60 estudantes do Colégio Estadual Pinto de Aguiar, do bairro de Mussurunga.

A Conferência terá como tema “As Escolas da Bahia cuidando das Águas”. Um dos objetivos é promover a ampla discussão sobre o tema entre os jovens que se encontrarão para ouvir, falar e divulgar suas ideias e ações, contribuindo para a construção de um futuro sustentável para suas escolas, comunidades, municípios, territórios, regiões, para o Brasil e o Planeta. Durante a Conferência Estadual serão apresentados e selecionados os projetos de ação construídos nas etapas anteriores, trazendo a dimensão social e política sobre a questão da Água em seus múltiplos aspectos. Dentre estas etapas, acontece a etapa escolar que deverá ser realizada pelas unidades até 31 de março.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado, Fábio Barbosa, falou sobre a importância da participação das escolas. “Já começamos com esta mobilização nas escolas para que todos se apropriem das informações e, consequentemente, comecem a promover essa discussão, levar esse diálogo para o currículo escolar, envolvendo os estudantes e, a partir daí, possam elaborar projetos de ação sobre a conservação dos recursos hídricos em nosso Estado, levando-se em consideração, principalmente, a realidade local”, explicou, ao enfatizar que informações com o detalhamento das etapas estão disponíveis no link do Portal da Educação.

divulgação

Presente ao painel sobre a Conferência Infantojuvenil do Meio Ambiente na ALBA, a estudante Milena de Jesus, 13, 8º ano, do Colégio Estadual Pinto de Aguiar, ficou entusiasmada. “Este debate é muito interessante e importante para todos nós. Na minha escola, já estamos pensando na gincana ecológica que acontecerá este ano e terá como tema a água, por isso estamos aqui”, contou.

Para sua colega Natália Albergaria, 15, 9º ano, é essencial a realização de atividades ligadas à preservação do meio ambiente. “Acho a Educação Ambiental nas escolas um projeto conscientizador. Aprendendo sobre como cuidar do ambiente onde vivemos, poderemos almejar um futuro melhor e esse processo tem que partir de nós, uma nova geração mais consciente”, pontua.

Mais sobre a Conferência – A Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente é um processo pedagógico, participativo e democrático, que reúne estudantes, professores e comunidade escolar para pesquisar, dialogar e refletir sobre as questões socioambientais, elaborar um projeto de ação com o objetivo de transformar a realidade e escolher representantes que levem adiante as ideias acordadas entre todos.

O processo tem como proposito mobilizar e propiciar atitudes responsáveis e comprometidas com a questão da água, considerando os aspectos local e global, por meio da participação social; contribuir para a implementação das Políticas Nacional e Estadual de Educação Ambiental, das diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental e da Resolução Nº 11, do Conselho Estadual de Educação (CEE); qualificar uma nova geração que contribuirá com soluções coerentes, frente aos problemas socioambientais  que afligem a realidade local e o mundo atual e discutir caminhos que transformem a escola em um Espaço Educador Sustentável.

Fotos: Divulgação

Pinheiro anuncia encontro internacional Virtual Educa para junho na Bahia

Aula inagural Escola Parque 2018 (38)

O XIX Encontro Internacional Virtual Educa, um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, vai acontecer entre os dias 4 e 8 de junho, em Salvador. O anúncio foi feito pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, durante a aula inaugural da rede estadual, nesta quarta-feira (21), no Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque.

“Este não é um encontro de tecnologia, mas para que a gente possa entender como é possível, contextualizando a Educação, mas enxergando cada território, promover a transformação social. Sou parceiro deste encontro desde sua primeira edição. No ano de 2015, no México, disputamos sediar o Virtual Educa com a Argentina. Depois, em 2017, na Colômbia, a Bahia já sacramentou o Virtual Educa. Tanto é que encerramos na Colômbia o ritual de passagem para 2018 aqui na Bahia”, disse Pinheiro.

O secretário também anunciou que o encontro vai ser realizado no Centro Estadual de Educação Profissional em Apoio Educacional e Tecnologia da Informação Isaías Alves (antigo ICEIA), que está passando por uma ampla reforma. “O ICEIA será o novo modelo de escola em Salvador. Vai sediar o Virtual Educa e vai continuar sendo uma escola. Mas agora, voltando ao passado e contextualizando sua ação para o futuro, o ICEIA vai ser um grande centro de formação para professores, será um espaço para fazer encontros e congressos e para a exposição permanente de obras artísticas dos talentos da nossa Educação. O ICEIA terá seu teatro de volta, o segundo maior teatro de Salvador, que está sendo totalmente recuperado. Para se ter uma ideia, a última artista que se apresentou nesse teatro, antes de ser fechado, foi exatamente Elis Regina”, lembrou Pinheiro.

A mais recente edição do encontro internacional reuniu mais de 29 mil pessoas em Bogotá, na Colômbia, em junho de 2017. De acordo com o secretário geral do Virtual Educa, José María Antón, a Bahia foi escolhida para sediar a próxima edição por diversos fatores preponderantes, a exemplo da diversidade cultural, localização, destaque em projetos educacionais e a vinculação com a África, continente que pela primeira vez participará do programa.

O Virtual Educa é uma iniciativa criada em 2001 com a Organização dos Estados Americanos (OEA), cujo objetivo é promover a inovação na Educação para promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável, especialmente na América Latina e no Caribe. O Virtual Educa opera por meio de uma aliança de organizações internacionais, agências multilaterais e instituições públicas e privadas, que reúne os setores público, empresarial, acadêmico e da sociedade civil.

Nesta edição do encontro, será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial, que visa estabelecer um marco mundial sobre a economia do mar, com foco na sustentabilidade e na economia sustentável.

Foto: Claudionor Junior

Prorrogadas inscrições para a 2ª etapa da Seleção de Coordenador Cultural (Interessados têm até o próximo dia 27 para se inscreverem no processo)

escolasculturais

Foram prorrogadas até a próxima terça-feira, 27 de fevereiro, as inscrições para a segunda etapa da Seleção de Coordenador Cultural, que oferece vagas para mais 40 municípios da Bahia. As vagas são ofertadas através do contrato de gestão firmado entre o Instituto de Ação Social pela Música (IASPM) e o Governo do Estado da Bahia.

As 40 vagas serão distribuídas na Bahia para atuação no projeto Escolas Culturais, em escolas públicas nos municípios de Abaré, Barra, Cachoeira, Campo Formoso, Canavieiras, Capim Grosso, Caravelas, Catu, Cícero Dantas, Coração de Maria, Cruz das Almas, Entre Rios, Euclides da Cunha, Firmino Alves, Ibicui, Ichu, Itajuípe, Jaguarari, Jussari, Lençóis, Livramento de Nossa Senhora, Mata de São João, Miguel Calmon, Morporá, Mutuipe, Nazaré, Nilo Peçanha, Nova Canaã, Paramirim, Pintadas, Ponto Novo, Remanso, Rodelas, Santa Inês, Santana, Santo Amaro, Santo Estevão, Tucano, Uauá e Ubatã.

O processo seletivo é de responsabilidade do Instituto Ação Social Pela Música (IASPM), organização social que participa da gestão do projeto Escolas Culturais. As inscrições devem ser feitas exclusivamente via internet. Sob o título ‘Coordenador Cultural’, o currículo com indicação de cidade para a qual deseja concorrer e a carta de apresentação e motivação (até 2 páginas) devem ser enviados para o e-mail selecao@iaspm.org.br.

A carta deve conter uma descrição sucinta da experiência na gestão ou participação em projetos culturais e/ou educacionais e informação sobre pretensão salarial, além de resposta à seguinte questão: Quais as principais dificuldades encontradas pelos grupos culturais e de arte no seu município e como enfrentá-las? Devem também ser encaminhados até três documentos comprobatórios de experiências anteriores.

Informações completas sobre a seleção, requisitos e especificações, além da descrição sumária das funções e a relação dos 40 municípios para os quais se destinam as vagas, estão disponíveis no site do Neojiba. Clique aqui e confira o Edital nº6.

O projeto Escolas Culturais, que faz parte do Programa Educar para Transformar, é uma iniciativa conjunta das secretarias estaduais da Educação, de Cultura (SecultBA), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e da Casa Civil, viabilizada pelo Fundo de Combate à Pobreza. O objetivo é fortalecer e dinamizar as escolas, por meio da cultura, em benefício e com a participação da comunidade.

Secretaria da Educação do Estado orienta estudantes sobre certificações para os Ensinos Fundamental e Médio

ENEM 2017 no Colegio Edvaldo Brandão  (8)

O estudante, que não concluiu seus estudos no 9° ano do Ensino Fundamental ou no 3° ano do Ensino Médio, tendo três ou quatro disciplinas pendentes, pode obter sua certificação através dos exames aplicados pela Comissão Permanente de Avaliação (CPA) ou do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA). Caso o estudante não tenha como comprovar seus estudos também poderá receber sua certificação tanto pela CPA quanto pelo ENCCEJA.

Para certificar-se pela CPA, o candidato, com idade mínima de 15 anos para o Ensino Fundamental e 18 anos para o Ensino Médio, deverá acessar o site (cpa.educacao.ba.gov.br), preencher o cadastro e realizar a inscrição nos dois primeiros dias úteis de cada mês [escolas.educacao.ba.gov.br/examesupletivo](acesse o calendário). Após isso, deve dirigir-se à escola estadual de sua escolha munido dos documentos como duas fotos 3×4 (iguais e recentes), Carteira de Identidade e CPF (original e cópia) e agendar os dias e horários de aplicações das provas. Ao concluir todos os exames, o candidato poderá solicitar a sua certificação. Caso seja reprovado em alguma disciplina, o candidato somente poderá realizá-la após 60 dias de intervalo.

Nos exames de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio, as avaliações incluirão os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa com Redação, Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Estrangeira Moderna (Ensino Fundamental) e Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Redação, Língua Estrangeira Moderna, Matemática, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Química, Física e Biologia (Ensino Médio).

Os candidatos, acima de 18 anos, que participaram do último Exame Nacional ENCCEJA, realizado em 19 de novembro de 2017, podem dirigir-se à uma unidade certificadora para requerer seus certificados de conclusão tanto do Ensino Fundamental quanto do Ensino Médio. Neste caso, os documentos necessários são duas fotos 3×4 (recentes e iguais), original e cópia da Carteira de Identidade e do CPF, além do resultado impresso do exame que pode ser encontrado no site (enccejanacional.inep.gov.br). O prazo estimado para a entrega é de 30 a 60 dias.

As unidades certificadoras disponíveis em Salvador são: Colégio Estadual Governador Roberto Santos, localizado no bairro do Cabula; o Centro Estadual de Educação Magalhães Neto, localizado nos Barris, o Colégio Estadual Duque de Caxias, localizado no bairro da Liberdade. Para consultar as unidades certificadoras em toda a Bahia, o candidato deve acessar o [escolas.educacao.ba.gov.br/examesupletivo]link no Portal da Educação.

Documentos Certificadores – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) é responsável pela elaboração, gestão da aplicação e correção das provas. A emissão dos documentos certificadores é de responsabilidade da Secretaria da Educação do Estado ou da instituição educacional que firmar Termo de Adesão com o INEP. São duas opções: Certificado e Declaração de Proficiência. O primeiro reconhece, oficialmente, que o educando cumpriu na íntegra todos os componentes curriculares do núcleo comum dos Ensinos Fundamental ou Médio. A segunda é a certificação parcial que comprova que o participante conseguiu cumprir um ou mais componentes curriculares nas áreas avaliadas pelo ENCCEJA.

Foto: Ilustração/divulgação

Aula inaugural da rede estadual é marcada por protagonismo estudantil

26533416078_4bfb74d8b3_k

Os estudantes das escolas estaduais foram os grandes protagonistas do Programa de Abertura do Ano Letivo – Aula Inaugural – realizado, nesta quarta-feira (21), no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´ Água, em Salvador. Vindos de diferentes Núcleos Territoriais de Educação (NTE), eles encantaram o público com apresentações de projetos científicos, música, dança, poesia, de audiovisual e outras práticas formativas e educativas, em suas distintas linguagens, que são desenvolvidas nas escolas para promover o protagonismo estudantil. A aula contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e dos irmãos Macedo, Armandinho, André e Aroldo, em uma homenagem a Dodô e Osmar.

 

Ao dar as boas-vindas ao público, o secretário Walter Pinheiro destacou as ações que estão sendo desenvolvidas para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Hoje é um dia muito especial em toda a rede que, este ano, começa a experimentar algumas práticas pedagógicas que, inclusive, foram colhidas ao longo de todo o ano letivo de 2017, a partir de um diálogo com gestores e professores e um debate envolvendo a nova base curricular e a própria reestruturação do método pedagógico; a chegada dos novos coordenadores pedagógicos; o concurso que será realizado no dia 25; a mudança do ponto de vista de funcionamento com a chegada da internet da escola; a transformação do ponto de vista também da formação continuada para os nossos professores. Inclusive, ontem, iniciamos de forma pioneira no país uma formação para 24 mil professores, em parceria com a Universidade Federal da Bahia”, afirmou.

Leia mais

Aula Inaugural: Pinheiro destaca avanços para fortalecer o eixo pedagógico na rede estadual

O fortalecimento do eixo pedagógico das escolas estaduais, por meio da implantação de projetos, realização de concurso público e formação de professores, é um dos destaques para o ano letivo 2018 na rede estadual de ensino. A afirmação foi feita pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, nesta quarta-feira (21), durante o Programa de Abertura do Ano Letivo – Aula Inaugural, no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´ Água, em Salvador.

“A grande novidade da Educação é o que discutimos nas escolas, em 2017, com todos os gestores escolares durante o Diálogo com Gestores, envolvendo o currículo, a nova Base Nacional Comum Curricular, a Educação Profissional e Tecnológica, ou seja, uma Educação reformulada, com uma escola contextualizada em cada território, que oferte Música, Teatro, mas, também, oferte Ciência, Robótica e cursos de curta duração, uma escola que tenha inovação e que, efetivamente, prepare os estudantes para a vida”, afirmou.

Para tanto, Pinheiro citou o acesso à internet em banda larga, por meio de fibra ótica ou via rádio, em todas as escolas estaduais até o final do ano, estando em curso a instalação de 320 pontos de satélite no interior e já consolidado o processo nas escolas da capital. Outras medidas, neste sentido, são a ampliação dos projetos de arte e cultural nas escolas; a implantação de novas Escolas Culturais; e a realização, na Bahia, da 19ª edição do encontro internacional Virtual Educa, no próximo mês de junho.

Formação – O secretário destacou, em especial, os investimentos do Estado no quadro do magistério. Citou a realização do concurso público com 3.760 vagas para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino, cujas provas serão realizadas domingo (25), na capital e no interior. Lembrou das parcerias com as universidades públicas que contemplam, dentre outras coisas, a oferta de cursos na modalidade Educação a Distância (EaD), de modo a beneficiar estudantes que moram no interior do Estado e, principalmente, para a formação de professores.

“Estamos comemorando o início, ontem, do curso online Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais, para mais de 24 mil professores e coordenadores pedagógicos, em parceria com a Universidade Federal da Bahia. Estamos recebendo telefonemas de todo o Brasil, dos secretários querendo saber qual é a nossa plataforma, como a gente está conseguindo oferecer este curso para tantos educadores de uma vez só”, afirmou, ao acrescentar que o curso valoriza a carreira do magistério com formação e, também, com ganhos salarias, uma vez que os concluintes terão um ganho médio de 14% em seus vencimentos, até maio de 2019.

Novos projetos – Aliado a isto, o secretário falou, ainda, sobre os novos projetos que irão imprimir pedagogia inovadora nas escolas. “Também teremos programas como o Inova Escola, desenvolvido em parceria com a Fundação Telefônica Vivo e lançado, ontem, no Colégio Estadual Norma Ribeiro, no bairro de Arenoso, em Salvador. Com este programa, vamos desenvolver e implementar inovações educacionais que potencializem a aprendizagem e conectem a educação pública com as competências do século XXI!”, afirmou.

Outra novidade é o Programa o e-Nova Educação, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com o Google INC, que inclui a formação de professores e o uso de um Ambiente Virtual de Aprendizagem de última geração, dinamizando os processos de ensino e aprendizagem e configurando uma rede social de conhecimentos que integra estudantes e professores. “Todas estas medidas são adotadas para que a escola faça a Educação para transformar e, portanto, criando um novo ambiente, com uma pedagogia do século XXI, no qual todos, professores, gestores e alunos, possam fazer parte, sendo a escola contextualizada, pisando no seu território e pensando no futuro”, completou.